O CRIACIONISMO X EVOLUCIONISMO: É UM TRUQUE.

A educação científica não deve ser sobre a substituição de um conjunto de crenças do outro.

Sem títuloDe onde é que viemos? Por que estou aqui? Qual é o seu objetivo na vida?
Estas são perguntas importantes. Eles são tão importantes que as pessoas têm feito essas perguntas para milhares de anos e revisitando-las ao longo de suas vidas. A evolução afirma ter algumas respostas. Os criacionistas afirmam ter outras respostas. E muitas pessoas com diferentes experiências e tradições culturais afirmam ter ainda outras respostas.

Então, no que você deve acreditar?

Se estamos falando de ciência, então você não deve acreditar em qualquer um deles.

A discussão entre o que eu vou chamar os evolucionistas e criacionistas é um truque. Um truque ligeiro com a mão.

A evolução é uma ciência porque sua base esta no desenvolvimento de perguntas e procurando respostas. Ciência com um grande “C”, é o que a maioria dos cientistas querem dizer quando dizem essa palavra, é a ciência que podemos compartilhar. Este é o tipo de coisa que vive em departamentos de ciência nas universidades. As evidências que as pessoas usam para apoiar a evolução é a ciência que podemos compartilhar: eu posso encontrar um fóssil e compartilhá-lo com você. Eu posso encontrar um gene quebrado da vitamina C no genoma humano e você pode ver que ele está lá. Juntos, podemos fazer perguntas sobre por que e procurar respostas. Por que um designer inteligente colocaria um gene de vitamina C quebrado nas pessoas? Será que designer inteligente odeia nós, meros navegantes?

Bem, talvez ele não está quebrado. A ciência que não podemos compartilhar muitas vezes não chega a ser chamada de ciência. Introspecção, conhecer a si mesmo, saber que você está propenso a raiva depois de muitas cervejas, ou que você pode aprender uma nova habilidade ao por sua mente sobre esta nova perspectiva, estas são coisas que você aprende sobre a experiência. Eles são, provavelmente, as coisas mais importantes que voce pode aprender. Você muitas vezes testa hipóteses sobre si mesmo e seu mundo. Você é alérgico ao leite? Você seria mais feliz se você foi para a cama mais cedo. Onde é que tudo isso vai dar? O que você aprende aqui se baseia na fundação dos mesmos métodos que os cientistas usam no laboratório.

Observe. Pergunte. Atualize-se. Repita.

Ainda assim, o que eu não posso compartilhar é uma ciência pessoal no melhor e no pior dos casos delirante. Mas mesmo a ciência com “C” pode ser delirante ou seriamente contestada, então não vamos ficar mal-humorados.

A Frenologia, a teoria das cordas, as mamografias para mulheres jovens. Este é o começo de uma longa lista que ainda está em construção, dos quais você pode encontrar mais aqui.
Criacionismo e outras tradições religiosas não são parte da ciência. A maioria deles não é ciência, porque muitas vezes não fazem perguntas, não se baseiam na observação de responder às perguntas, e eles tendem a não atualizar suas crenças ou “teorias” baseadas em novas provas.

Os budistas, por vezes, fazer perguntas e olhar para dentro para encontrar respostas. Einstein afirmou que o budismo foi o candidato mais provável para uma ciência religiosa. Mas para Einstein as religiões talvez não soubessem muito sobre como podem ser igualmente competitivas. A Oração Quaker envolve escuta. Muitas tradições procurar sinais e evidências do mundo. A dificuldade de compartilhar estas observações e expondo-as a investigação coletiva faz com que esses sinais suspeitos aos olhos coletivos da Science. Mas isso não os torna menos poderoso. O significado da vida não deve ser objeto de reclamações sobre o tamanho da amostra.

As pessoas vão acreditar em coisas; eles precisam acreditar nas coisas. Mas o criacionismo não é uma alternativa científica à evolução, não a menos que nós queiramos redefinir a ciência como qualquer coisa que você ou eu possamos imaginar. Eu também não tenho certeza se os criacionistas querem ver a sua tradição ao lado do monstro do Spaghetti ou da mitologia nórdica.
E isso não é provável que seja uma boa estratégia para descobrir coisas sobre o mundo. Prefiro ter meus cientistas bons em ciência e meus praticantes espirituais ser bom na pratica da espiritualidade. Ambos podem dar sentido no que queremos dar significado, mas podemos precisar deles de forma diferente em diferentes momentos e talvez devessem olhar de dentro para fora de nós mesmos com sabedoria para saber a diferença.
No entanto, a evolução não é algo que as pessoas devem acreditar apenas e sem dúvidas. Como todas as teorias expostas ao escrutínio científico, a evolução é um trabalho em andamento. É algo que apenas perguntas e investigações revelarão plenamente. Você deve quer saber, veja as provas. Você deve perguntar-se quais as evidências e quais são as alternativas. Epigenética e evolubilidade são conceitos que surgiram porque os cientistas continuaram a fazer perguntas e não ficaram somente com as histórias de uma versão da resposta.
A educação científica deve ser a cerca de fazer perguntas. Também deve ser a cerca de saber as provas sobre as quais questões são baseadas frequentemente. Mas não devem ser sobre a substituição de um conjunto de crenças com o outro. Se você quer acreditar, então acredite. Se você quer fazer ciência, então não tenha medo de perguntar e se perguntar.
Fonte: Psychology Today

Anúncios

Deixe seu comentário ou sugira o assunto do seu interesse para futuras publicações!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s