Infância corrompida

Infância Corrompida

Por Leandro Ferraz

1

Olá queridos leitores tudo bem? Bom essa semana, saindo um pouco do formato da coluna irei tratar de um assunto que tenho presenciado, e que já vem me incomodando a algum tempo, a evangelização de crianças. Tenho percebido alguns vídeos na internet, onde crianças pregam e são aclamadas pelo público, nos vídeos a maioria chega a ser um orgulho enorme para sua família. Até que ponto isso pode ser benéfico para a criança? Se é que isso pode acrescentar em algo, o que assusta é que ninguém se atenta a tais atos, ninguém se preocupa com isso e dessa forma nossas crianças tendem a crescer submissas e sem o poder de questionar nada que lhe é imposto, se tornando assim, alvos cada vez mais fáceis de serem domesticados por doutrinas religiosas.

Em muitos casos, essas crianças servem como uma mina de ouro para a igreja e para seus pais. Pois a mesma chega a virar um fenômeno no meio religioso, e de uma inocente criança, passa a ser uma atração do templo, dessa forma a mesma começa a ser explorada por ambas as partes. Isso faz com que ela perca sua infância, perca contato com meninos da sua idade, amadureça muitas vezes de forma precoce e se afaste do que seria o comportamento digamos “ideal” para sua idade. Esse abuso psicológico deve ser cessado, pois criança é um ser em formação e deve ser tratado como criança e não se aproveitar de sua inocência e sua visão doce do mundo para catequizá-la. Crianças deveriam ser proibidas de freqüentar qualquer tipo de doutrina religiosa, deveria ser imposta uma faixa etária para se freqüentar esse tipo de local, até mesmo para se prevenir abusos sexuais de menores, o que vemos acontecer corriqueiramente nos noticiários.

Hoje em dia fazem de tudo para desde cedo catequizar os bambinos. No fim de semana mesmo me deparei com um brinquedo que me chamou muita atenção e ao mesmo tempo me deixou assustado, a Bíblia para Crianças. Chega a ser bonitinho, bem feito e etc, e é nisso que está o meu maior receio. Não se pode influir dessa forma na formação de uma criança, ao meu ver, toda criança deveria ser isenta de qualquer influência religiosa e a mesma deveria escolher sua orientação depois que já tivesse idade suficiente e discernimento adequado para tal. Mais infelizmente o que vemos hoje é exatamente o contrário disso, em uma situação recente me deparei com algo que ilustra bem onde quero chegar, estava eu na casa da minha namorada, e a mesma começou a sentir-se mal com falta de ar, a sobrinha pequena dela teceu o seguinte comentário “chama o fulano de tal para rezar pra ela…” Isso é o exemplo vivo de como cada vez mais cedo estão fazendo de tudo para arrebatar ovelhas para o seu rebanho. E o pior nisso tudo é que contam com a conivência dos pais, quem vêem isso acontecer debaixo de seus olhos e ainda contribuem com esse tipo de atitude, seja levando a igreja ou dando a eles brinquedos com cunho religioso.

Pretendo não passar nenhuma orientação religiosa para meu futuro filho(a) (quando vir a ser pai), vou deixar que ele(a) seja livre e que curta demais sua infância, sem se preocupar com pecados, céu, inferno, ou se está agradando seu deus ou não. A meu ver, isso não acrescenta em nada na formação dele(a), ensinarei a ele(a) valores morais e éticos, discernimento sobre o certo e errado, respeitar as pessoas, ser honesto, ter dignidade, ser uma pessoa responsável e etc, mais nada ligado a nenhum cunho religioso, deixarei a cargo dele(a). Apenas mostrarei as opções e deixarei que ele(a) escolha a que caminho seguir, mais uma coisa é certo, farei com que ele(a) seja questionador assim como eu aprendi a ser e não simplesmente aceitar tudo que lhe é imposto sem antes raciocinar a respeito daquilo. O questionamento é a melhor forma de se alcançar a sabedoria e afastar de você o que não é coerente, tire suas vendas, desamarre sua mordaça, seja livre para pensar e pesquise sobre o que lhe soa entranho, somente dessa forma você conseguirá enxergar além do que os olhos conseguem ver!

Para fechar, deixo a vocês uma frase do parapsicólogo, filósofo, poeta, escritor, conferencista e autor de livros e artigos Valter da Rosa Borges:

“Um ateu diria que Deus  fez esse mundo tão mal feito,  tão cheio de sofrimentos  que ficou envergonhado  e até hoje vive escondido.”

Qualquer crítica ou sugestão, comente abaixo que responderei com todo prazer, um abraço e até a próxima.

Anúncios

Deixe seu comentário ou sugira o assunto do seu interesse para futuras publicações!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s