Devemos mesmo respeitar a religião?

B6wcXWdIgAA_Lbr

Crédito de imagem: http://www.buzzfeed.com/ryanhatesthis/heartbreaking-cartoons-from-artists-in-response-to-the-ch?bffb&utm_term=4ldqpgp#.xqzZvmvjKJ

Devemos respeitar a religião?

 Aproveitando o ataque religioso que ocorreu ontem na França e matou 12 inocentes, pergunto:

Devemos mesmo respeitar a religião?

Respeito é sinônimo de reverência, profunda deferência, obediência, acatamento. Se não possuirmos tais sentimentos em relação à crença dos outros é óbvio que não devemos respeito algum.

O respeito deve ser conquistado e não obrigado. Impor respeito é o mesmo que impor medo, afinal respeito não se pode impor.

A base da doutrina religiosa é a imposição do medo. É claro que se perguntarmos a um fiel se ele tem medo de Deus ou respeita-o, ele afirmará que tem por Ele respeito, mas se perguntarmos o mesmo a um escravo que acha que está sendo observado por seu dono à resposta seria a mesma, não?

O mesmo aplica-se ao amor a Deus. Temer não pode ser o mesmo de amar, este erro é semântico.

O respeito só pode ser gerado do bom tratamento. O ódio gerado do medo.

Trate bem, tenha compaixão e conquistará o respeito. Trate mal, imponha “respeito” e gerará o medo.

A religião fez uso do medo durante anos de imposição de “respeito” ao cristianismo. Na verdade ela levou as pessoas a acreditar que os assuntos religiosos não deveriam ser discutidos e sim respeitados, através do medo e não da compaixão. A afirmação de que religião não deve ser discutida, mas respeitada, é esdrúxula.

 10392408_189875181182818_7938550006494559166_nCrédito de imagem: Coletivo OS FOFOS

“Criticar uma pessoa pela sua raça é manifestamente irracional e ridículo, mas criticar a sua religião é um direito. A liberdade de criticar ideias, quaisquer que elas sejam, é uma das liberdades fundamentais da nossa sociedade. Uma lei que diz que eu posso criticar e ridicularizar ideias, exceto aquelas de caráter religioso, é, no mínimo, uma lei muito estranha.”

Rowan Atkinson (Mr. Bean).

 

O que vimos e ouvimos é que independentemente de crenças devemos amar ao próximo e essa é a nossa religião. Mas me parece um tanto grosseiro ligar tal afirmativa a religião e não a um sentimento meramente humano. Afinal, onde existiu amor nos inúmeros conflitos religiosos?

“Eu não vou atacar sua doutrina nem sua crença, contanto que elas não mexam com a minha liberdade (…) se elas acharem que pensar pode ser perigoso, se elas acharem que questionar é um crime, então eu as atacarei, uma a uma, porque elas escravizam a mente dos homens.”

Robert Green Ingersoll

Nós não iremos respeitar a religião, pois a posição religiosa é impor as “verdades” de seu livro religioso a qualquer custo.

Isso é um absurdo.

Nós não nos calaremos mais, já bastou milênios de calem a boca através das torturas religiosas.

Se sangue é derramado e os cristão afirmam que isso só ocorre entre os seguidores de Maomé, esquecem-se, portanto de quanto sangue fora derramado para que o cristianismo se tornasse a maior religião do Mundo.

Absurdo!

Anúncios

Deixe seu comentário ou sugira o assunto do seu interesse para futuras publicações!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s