Coação Religiosa

Por Leandro Ferraz

opressao

 

Olá queridos leitores, tudo bem? Espero que sim, a alguns dias atrás, me deparei com uma reportagem publicada pelo o globo, mais precisamente no dia 18/12/2014, onde me bateu um profundo sentimento de pena e um misto de vergonha. Muitos de vocês devem ter visto essa reportagem pois a mesma foi de grande repercussão nas redes sociais e etc, o título da matéria em questão dessa semana é “Adolescente cristã se mata por medo de contar a os pais que é lésbica”. O enunciado já é pra deixar qualquer um revoltado, independente de religião, opção sexual, por tamanho o grau de ignorância apresentado, e no subtítulo ainda nos deparamos com a seguinte citação “Britânica de 14 anos lutava para conciliar seus sentimentos com a fé. Pai diz que teria recebido a notícia com ‘amor e aceitação”

Até quando iremos nos deparar com tamanha coação baseada nos ensinamentos religiosos? A ação da adolescente Elizabeth Lowe de apenas 14 anos  vem a mostrar que diferente do que seu pai disse após a tragédia, provavelmente ela sabia que seria massacrada pela sua opção sexual dentro de casa, uma vez que seus pais são cegamente religiosos. As religiões no geral deveriam se atentar a certos “ensinamentos” desferidos, pois muitos deles são homofóbicos e incitam a violência entre as diferenças, haja vista mesmo temos como exemplo o pastor Malafaia e o polêmico Jair Bolsonaro, dois mestres nessa arte.

Foi citado na matéria também que “A preocupação com o estado mental da estudante de Manchester começou quando ela enviou uma mensagem a um amigo, na noite de 10 de setembro, que terminava com as palavras: “Mantenha-se forte. Sinto muito”. Após a mensagem, Elizabeth foi encontrada enforcada em um parque na Inglaterra. Vejam o que o cabresto, a falta de diálogo e a ignorância podem levar as pessoas a fazer. Se os pais se mostrassem mais compreensivos e dispostos a debater o assunto, acredito eu que essa tragédia teria sido evitada e não teríamos mais uma vida interrompida. O estranho é que na própria bíblia temos vários trechos que são contra quaisquer tipo de julgamento, temos por exemplo em João 7:24 a seguinte passagem “Não julguem apenas pela aparência, mas façam julgamentos justos”. Venho a citar esse trecho pois o mesmo deveria servir de exemplo para a tolerância entre as diferenças, independente a qual área nos referirmos, mais não, o que presenciamos é um misto de preconceito e ignorância por parte das religiões com relação a qualquer assunto atrelado a homossexualidade. Gostaria de destacar também o seguinte trecho “Um dos colegas de Lizzie contou à polícia que a amiga tinha dúvidas se seus pais aceitariam bem sua orientação sexual. A adolescente também havia falado sobre suicídio com os amigos e já tinha se automutilado no passado, o que chamava de “mecanismo de defesa”. Outro conhecido disse que ela estava “encontrando dificuldade para se conectar com Deus, porque achava que estava mentindo para ele”. Com essa afirmação é notório que esse “Deus” de amor que tanto pregam, na verdade está sendo visto como um ser cruel e intolerante as diferenças, pois a própria Elizabeth como citado acima achava que estava mentindo com relação a sua sexualidade ou seja, por medo de ser castigada ou punida como sempre ouvimos por ai.

Pois então, deixe de ser ignorante e abra sua mente, não deixe ser manipulado por ideologias homofóbicas que só vem a semear a violência e a discórdia entre as diferenças, sejam elas referente a classe social, raça, credo ou opção sexual. Liberte-se dessas amarras e seja racional, um ser humano não pode ser julgado pela sua opção sexual, cada um escolhe seu caminho a seguir. Não deixe que a igreja imponha suas ideologias ultrapassadas, que pastores muitas vezes analfabetos funcionais ditem regras de como você deve agir ou como pensar, não compactue com essa lavagem cerebral descarada que fazem com os fiéis, não seja mais uma “ovelha” do rebanho.

A imagem que deveria ser exaltada por meio dos ensinamentos deveria ser um deus de tolerância e não julgamento (mais pelo exemplo abordado não é isso que vemos), até mesmo para evitar a se chegar a certos extremos como aconteceu com a menina Elizabeth de apenas 14 anos, os pais com certeza agora viverão carregando essa tristeza e essa culpa, por não ter tido um diálogo e compreensão com sua filha. Espero que tudo que foi abordado aqui realmente sirva de alerta para os pais que tem filhos em fase de formação e etc… Sejam mais compreensivos com seus filhos, mantenha um diálogo aberto, principalmente a assuntos ligados a sexualidade, amadurecimento, essa atitude pode ser providencial para se evitar tragédias como essa.

Para fechar, como de costume, deixo a vocês a frase do seguinte filósofo Richard Dawkins “Ateus podem fazer maldades, mas não fazem maldades em nome do ateísmo”.

 

Fecho o ano de 2014 com essa matéria, pois semana que vem devido a compromissos pessoais não terei tempo de formular uma nova postagem, por isso, desde já desejo um bom fim de ano, boas festas e muitas felicidades a todos nós, e obrigado pela atenção dedicada.

 

Segue o link da matéria citada em questão: http://oglobo.globo.com/sociedade/adolescente-crista-se-mata-por-medo-de-contar-aos-pais-que-lesbica-14866190?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=O%20Globo

 

Anúncios