(♪♫♪) Então é natal, a festa… Cristã?!?!

Por Laudenir Araújo

320px-Harmonices_Mundi_0001-lg

As festas estão presentes em diferentes momentos de nossas vidas.

Sempre comemoramos alguma data ou um acontecimento em nossas, mas e a comemorações e festividades tradicionais o que sabemos sobre elas?

As datas comemorativas tradicionais quase sempre tem cunho religioso e tentam unir o sacro ao profano, seja como forma de unir pessoas de uma mesma localidade, como também visitantes.

A igreja católica incorporou diversas datas ao calendário, como sendo datas comemorativas aos seus mártires, com o claro objetivo de criar a cultura de que tal data um marco da fé cristã.

Estamos em dezembro, época do ano em que se celebra o nascimento de Jesus, mas Jesus nasceu mesmo no dia 25 de dezembro?

A data do nascimento de Jesus sequer existia até o ano de 350 dC, quando o então Papa Júlio I declarou essa data como o dia do nascimento de Jesus. Antes disso, as festividades eram independentes, com elementos originários em festividades pré-cristãs conhecidas como solstício de inverno que incluíam também o “madeiros” do festival de Yule e “A troca de presentes”, a Saturnália. A Saturnália era um festival romano em honra ao deus Saturno que ocorria no mês de dezembro, no solstício de inverno (era celebrada no dia 17 de dezembro, mas ao longo dos tempos foi alargada à semana completa, terminando a 23 de dezembro).

Ressalvamos que o Natal não se encontrava entre as primitivas festividades cristãs. Os Papas Irineu ( Século II – d C. 202), e Tertuliano( QuintusSeptimiusFlorensTertullianus; d C. 160 – 225), não o mencionam nas suas listas de festas. De fato, a primeira evidência da festa procede do Egito. A primeira vez em que vemos a referência direta à observância do Natal, entre os cristãos, acontece no pontificado do papa Libério no período 352-366 d.C.

Segundo a própria bíblia, “havia pastores que estavam cuidando de ovelhas na noite em que Jesus nasceu” (Lc 2:8), a época do ano, segundo o calendário Judaicoera o mês de Kislev, era um mês chuvoso e frio, não sendo propício permanecer ao ar livre nessas condições. Entretanto, o evangelista Lucas afirma que havia pastores vivendo ao ar livre e que se mantinham em vigília sobre os rebanhos à noite perto do local onde Jesus nascera. O mês judaico de Kislev, no calendário gregoriano corresponde à segunda metade de novembro até a primeira metade de dezembro era um mês chuvoso e frio,

Assim, temos que o dia 25 de dezembro não representa a data exata do nascimento de Cristo.

A data é comemorativa a vários outros deuses de várias outras mitologias que foram incorporadas ao calendário Romano a medida em que o império de Roma dominava e se apropriava de outros povos e cultura.

Então, Parabéns a todos os nascidos em 25 de dezembro.

Dica de leitura:

* FESTAS RELIGIOSAS: A MATERIALIDADE DA FÉ / Religious celebrations: the materiality of faith (Clique Aqui)

* O SENTIDO CRISTÃO DAS FESTAS RELIGIOSAS (Clique Aqui)

* A FESTA DOS HOMENS A FESTA DOS HOMENS STA DOS HOMENS (Clique Aqui)

* ITANI, Alice. Festas e Calendários. DIDÁTICO. São Paulo: Editora UNESP, 2003.

Anúncios