Apenas um desabafo!

Por Welbert Cabral

Olá galera,  hoje abro um espaço para uma amiga poder desabafar sua insatisfação e sua crítica sobre o “meio ateísta”.
Vamos ver o que ela tem pra nos dizer?!

 


 

 MILITÂNCIA X ESTADO X IGREJA

Ainda precisamos da separação entre igreja e o estado ?

Parece estranho fazer essa pergunta entre ateus não é?!

Bom deixe-me explicar o porque dela.

 

Será mesmo que a maioria dos ateus ainda consideram relevante esse tema ? O que eu estou vendo ultimamente em todas as páginas ateístas criadoras de conteúdo, e claro, também nas que só roubam conteúdo dos outros – e são grandes!!!- são temas voltados mais para passagens bíblicas, homofobia, preconceitos diversos, ciência etc.

 

Nós temos certamente muitos interesses no ativismo para se debater, e claro que todos tem sua relevância, mas estou vendo muito pouco conteúdo sobre separação: igreja x estado. O fato de os ateus serem atraídos por todos esses assuntos, não quer dizer que não estejam interessados no assunto supracitado. Uma coisa que eu não gostaria de pensar, mas é inevitável, seria que os ateus também são afetados pela cultura “política não se discute” ou  “o assunto é chato”. Tivemos mais publicações recentemente por causa das eleições,  totalmente direcionados…. no entanto, também, já passou.

 

Uma vez que foi o assunto virou prioridade, porque mudou? Por que seria chato e não atrai seguidores, likes ou compartilhamentos? Penso hoje ver “estrelas” ateístas brilhando, querendo aparecer muito, com assuntos que chamem a atenção. Alguém pode dizer: Bruna, você me parece ser uma delas… É verdade, não uma estrela, mas eu sou uma ativista a pleno vapor, e estou aqui me auto-criticando também, eu assumo. Mas pergunto: Quem mais, além de mim?

 

Não estou sugerindo que outros temas não sejam relevantes, quem conhece meu trabalho sabe que os abordo diariamente, estou só levantando a questão igreja estado, por que caiu? Seria uma desistência por ser uma área de difícil progresso? Ou o assunto igreja estado tradicional não se encaixa mais na atual cultura “indignação”  que cobre a internet hoje?

 

Nós diminuímos, mas eles estão lá ainda, firmes e fortes, felizes por nós termos dado folga e seguido a onda da “likes prosperidade”. Está lá, maquinando, a bancada evangélica não para. Quando fiz o texto “Bancada evangélica e um idiota” a pesquisa por informações levou muito do meu tempo, precisava de informações com fontes confiáveis, talvez seja esse um dos problemas, que é um dos pecados capitais, dentre os dois que assolam a militância atual.

 

Duas coisas muito importantes que não podem ser esquecidas pelos verdadeiros militantes criadores de conteúdo. Só nós fazemos isso, ninguém mais, separação igreja estado, envolve atacar igreja e só ateus o fazem. Outra coisa importante, estamos recebendo diariamente gente nova, novos tanto em idade como no ateísmo, pessoas que estão aprendendo com a gente, e estamos esquecendo de passar uma das lições, que os fará repetir de ano.

 

Todos os outros tópicos seriam resolvidos em partes ou completamente aniquilados por um único tópico bem feito : Separação Igreja/Estado.

images (3)

Texto de Bruna Sweetflower

Você pode localizá-la em seu blog: www.sweetateia.blogspot.com

Anúncios

8 comentários sobre “Apenas um desabafo!

  1. Olá Bruna. Bom tópico, mas eu tenho que dar um passo atrás e fazer a pergunta básica: por que Estado e religiões organizadas deveriam ser separados? Afinal, desde a antiguidade eles caminharam juntos.

    Esta pergunta não pode ser respondida sem uma teoria política. Laissez-faire, Libertarismo, Comunismo, etc. … alguma dessas teorias tem que ser usada para determinar a relação entre Estado e religião organizada. Mas hoje quem é que tem uma base política nesse nível? Quem conhece o suficiente de história e filosofia para entender a revolução que levou à criação dos Estados Unidos, ou os pilares da Revolução Francesa?

    Para se discutir a questão da laicidade do estado é necessário saber como traçar a divisão e como identificar transgressões a ela. Algumas coisas são óbvias, como a isenção de impostos para igrejas simplesmente por serem igrejas. Mas outras não são. Falando como libertário, por exemplo, eu digo que a mesma teoria que diz que a isenção de impostos para igrejas quebra a laicidade do estado diz também que não deve haver cotas para negros e criminalização da homofobia (que defino como manifestação não agressiva de repúdio ao comportamento homossexual). Mas o que move a opinião pública não é um conjunto de princípios de filosofia política, e sim interesses pessoais e de classe. Logo, tratar de laicidade é contraditório quando se faz parte de classes tentando cruzar a linha divisória entre Estado e interesses.

    Ou seja: atacar o problema da laicidade é importante? Sim, é essencial. Mas tratar do problema sem levar esse princípio de separação para outras áreas é dar munição para aqueles que querem uma ditadura da maioria, quer religiosos ou não. E, no país em que a maior lei ainda é a de Gérson, ninguém quer abrir mão dos seus interesses pessoais em favor de um estado de justiça e isonomia.

    Curtir

    • Henrique, embora estudar o passado seja importante, não devemos nos ater a ele.
      A religião e o estado andaram juntas durante muito tempo, porem NÃO TODO o tempo.
      Olhe o caso do oriente e alguns países europeus,que mesmo tendo suas religiões, cada vez mais, se distanciam dela -vide Suécia e Alemanha.
      Você associar a luta pela separação da religião x estado, à luta das minorias é de um absurdo tamanha! É um erro categórico. Se houvesse Estado Laico de fato, essas lutas seriam menos cansativas e haveria uma compreensão mais humanista em seus melindres.
      A constituição em seu 19º Artigo já determina a separação entre essas instâncias. O que ocorre é o mesmo que acontece em outros níveis da sociedade: conflito de interesse.
      Durante muito tempo o que aconteceu – e isso sim é histórico- foi o medo de se confrontar os despautérios religiosos. Associado ao terrorismo implantado por lideres religiosos e a falha na comunicação isso foi tomando proporções absurdas, que culminaram no crescimento dos protestantes “desinformados” – por assim dizer.

      Hoje, com a facilidade da comunicação, e a informação em rápido acesso, essas “vendas” estão caindo, e muitos estão vendo as barbáries que sempre foram cometidas em oculto.

      Então, mais do em qualquer outro momento na história, este é o tempo ideal para se começar a exigir o que já está na lei. E fazer valer nossos direitos como cidadãos.

      Agradeço sua participação, e espero que a Bruna também traga a resposta dela para ti.
      Por Welbert Cabral

      Curtir

      • Welbert, eu não consegui me expressar direito. A pergunta inicial não é o que eu penso, e sim algo que motiva a discussão. Mas eu discordo de você em um ponto: “Você associar a luta pela separação da religião x estado, à luta das minorias é de um absurdo tamanha! É um erro categórico. Se houvesse Estado Laico de fato, essas lutas seriam menos cansativas e haveria uma compreensão mais humanista em seus melindres”. Se nosso estado fosse realmente laico, as dicussões seriam MUITO mais difíceis. A partir do momento em que a única ideologia aceitável é a razão, fica extremamente complicado discutir questões como aborto, cotas, homofobia, etc. à parte de interesses pessoais, principalmente quando você tira um elemento que une opiniões e deixa todos os outros.

        Por exemplo, existem defesas racionais sobre aborto tanto para um lado quando para o outro, baseadas em questões difíceis de responder, como: quando começa a vida? quando o feto se torna humano? por que, a partir de quando, e até que ponto a mãe tem a obrigação de suprir as necessidades do feto? Hoje existe uma polarização por conta da religião: quem é religioso diz que deve-se prezar a vida porque deus quer, e quem não é religioso diz que deve-se prezar a escolha porque nenhum deus existe ou liga para isso (novamente, digo através da minha lente, estou disposto a ser contrariado). Se tirarmos a religião do domínio de justificativas válidas, ficamos sem nada — e aí entra a ditadura da maioria, que vigora no Brasil desde o início da democracia e vem tentando se estabelecer nos EUA.

        O mesmo princípio se extende para todas as outras questões. Tirar a religião do caminho do estado, embora seja importante, não resolve qualquer problema legal ou executivo. Por isso que insisto que, mais importante do que a laicidade do estado é saber justificar tal idéia tanto quanto qualquer outra — o que não vejo a maioria dos ateus procurar.

        Curtir

    • Vamos por partes, você é um libertário, entendi um propósito em sua pergunta, você quer derrubar o estado. Eu acho que sairíamos do contexto aqui. Veja bem, coloco em outros termos, não interessa que tipo de organização sócio, econômica, política é, a religião não pode estar junto .Por que separar se sempre foram juntos ? Porque estado e religião juntos, seria em estado regido por dogmas. De uma época onde o povo era homogêneo, hoje não mais, então se não é para separar, que as outras religiões estejam lá, que nós estejamos lá.
      O Brasil tem um estado podre, não há como arrumar, a ordem certa é arrumar o povo, o estado se arruma sozinho.
      Cotas e lei homo. Cotas realmente eu nunca tinha visto nada tão ridículo, inútil. Primeiro vc está descriminando o branco pobre, dizem que o branco pobre tem mais chances, não , claro que não, não na escola e na faculdade, a não ser que olhem a foto na hora de corrigir a prova, é mérito, o preconceito acontece depois, no mercado de trabalho, lá que o empregador diz que a vaga foi preenchida, se não mudarem isso, você pode ter bons advogados, engenheiros desempregados ou em subemprego. Lembro de minha infância, no Brasil, no rio grande do sul, em um bairro muito pobre, todos loiros de olhos claros, espero que eles também estejam ganhando cota. Concordo com a lei homo. É resolver a coisa do jeito errado também, lei já existe, basta usá-la. Lei Maria da Penha é uma vergonha também, uma lei sexista, lei já existe para ambos, basta usá-la. Aqui, independente de quem agredir quem, ou porque, vc vai preso, não tem que ficar discriminando, o ponto é a agressão, essa existe, ponto.
      Olha, quanto ao estado laico, já é, esse é o problema, eu vejo crimes acontecendo. Eu sei que algo deve ser feito, poxa, eles seguraram a reforma penal por motivo religioso e ninguém faz nada ? Pelo aborto e homofobia, olhe os motivos, são duas coisas pessoais, são só pessoas controlando a vida de pessoas, e levando o resto para o buraco por isso. Aborto do jeito que está, morre mais, porque além do feto, morre as mulheres tambem. Homossexuais, estar preocupado com o cool de quem vc nem conhece, isso sim é doenca .Sei lá hein, deve ter calmante na água do Brasil, não é possível que o povo seja tão passivo assim.

      Curtir

      • Bruna, que bom que você entendeu uma boa parte do que quis dizer. Só não ponha palavras na minha boca: eu não quero derrubar o estado. Eu entendo que ele é necessário, só discordo de algumas ações vistas como necessárias a ele. Também acho que alguns princípios libertários, como o do homesteading (não sei a tradução para o português), são totalmente arbitrários.

        A minha proposta não é como eu vejo a discussão, e sim que é necessário que haja uma teoria política por trás das respostas dadas às questões de laicidade assim como às outras. Isso é o contrário do que vejo hoje (eu posso estar enganado pela ilusão da disponibilidade), quando as pessoas colocam interesses pessoais acima da racionalidade. E me parece que é esse conflito que enfraquece a luta pela justiça.

        Curtir

  2. Concordo contigo Bruna. Acho eu, inclusive, que muito dessa “desistência” desse assunto é o fato de não enxergarmos a curto e nem a longo prazo, um progresso nesse quesito. Acho também, que só dar “porrada” na sociedade sobre esse assunto, também não nos leva a lugar nenhum, pois, pra sociedade, eles saem como coitadinhos. Devíamos usar da inteligência e buscar novos meios de fazê-lo. Cito como exemplo, as Pseudo religiões “protestadoras” como o Pastafarianismo, ou Batatatismo, rsrsrsrs. Eu mesmo já andei flertando com esta ideia em meu texto no http://arcateus.blogspot.com.br/2013/09/a-controversa-estoria-da-vassoura-sagrada-apenas-mais-um-conto-de-fadas.html onde de certa forma, crio o “faxinismo”. Vejo nesse nixo uma forma bem humorada de mostrar o quâo absurdo são os poderes dados as religiões. Acho que deveríamos levar mais a sério essas pseudo religiões para tentar mostrar a sociedade que estas não são em nada, diferentes das outras. Termos sim a cara de pau que eles tem e criar templos, sacerdotes, vender lembrabrancinhas e penduricalhos sem pagar impostos porque a lei permite. Acho que nos dias atuais, esta seria a forma mais inteligente de protestarmos contra a união Igreja/Estado. O que você acha, Bruna?

    Curtir

    • João, esse problema de não enxergar um progresso a curto prazo, ele existe em qualquer área que envolva religião, tirar de dentro da cabeça das pessoas vai levar mais temos que tirar da política, então eu vejo isso como uma desculpa para o que citei no texto : “o assunto é chato” . Hahaha adorei a vassoura !! ” aí…vou lhe dar mais uma chance… pai hó pai porque me abandonaste ? Se você existe mesmo, a hora é agora, me tira daqui, eu me meti com gente da pesada, eles vão me massacrar, olha, eles não vão com a sua cara viuuu… Aquele ali, em preto e branco com aquele sorriso demoníaco, é judas, ele me entregou e me colocou aqui…” Kkkk socorro ! Então, sim, isso mesmo João, eu concordo com você , e vou mais longe. Acho que qualquer forma criativa mas objetiva que consiga apresentar o problema todo, é válido, desde que entendam, cada um pode usar seu jeito, você disse que leu alguns textos meus né ? Então deve ter reparado que eu sou um pouco violenta rsrs mas eu tento passar minha ideia em uma linguagem fácil, que qualquer pessoa entenda. Acho que é por aí.

      Curtir

    • Muito bem colocado, JC. Permita-me ilustrar com um caso real: a prefeitura de Oklahoma (capital do estado norte-americano homônimo) permitiu a instalação de um monumento dos 10 mandamentos em suas dependências conquanto fosse construído sem dinheiro público (aprovado em 2009, instalado em 2012). Depois de muita discussão e insistência em mantê-lo lá, um grupo satânico local levantou dinheiro para construir uma estátua de Baphomet (o capeta) e colocá-lo no mesmo jardim. Agora hindus estão considerando fazer o mesmo, e há um pedido para colocar o Monstro do Espaguete Voador. Para que o lugar não fique cheio de estátuas, a prefeitura terá que proibir todas e retirar a primeira — e estão prestes a fazê-lo.

      Curtir

Deixe seu comentário ou sugira o assunto do seu interesse para futuras publicações!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s